China isentará taxa sobre soja de países da Ásia e Pacífico

O Conselho Estatal da China anunciou na terça-feira (26.06) que isentará alguns países da Ásia e Pacífico de pagar as tarifas impostas sobre a soja importada. De acordo com o comunicado, a partir do início de julho, Pequim deixara de taxar a oleaginosa comprada da Índia, Coreia do Sul, Bangladesh Laos e Sri Lanka. Leia mais…

O cancelamento da taxação, que atualmente estava fixada em 3%, foi aplicado a uma ampla lista de mercadorias, que inclui produtos agrícolas, químicos, médicos, além de siderúrgicos e de alumínio. Esse é mais um esforço da China para diversificar suas fontes de importação de soja após a ameaça de impor uma tarifa retaliatória de 25% sobre a oleaginosa advinda dos Estados Unidos.

Diante desse cenário, os chineses estão procurando formas de ampliar sua produção de soja nesse ano enquanto buscam estreitar seus laços comerciais com países como o Brasil e a Rússia. De acordo com Flávio Roberto de França Júnior, analista de grãos da Datagro, apesar do aumento de preço não ser previsto, espera-se que o volume de compra dos chineses aumente bastante.

“Com o anúncio das tarifas, os chineses vão tentar limpar o mercado por aqui. Recentemente, compraram soja até da Rússia, que nem é grande produtora. Mesmo que a barreira seja levantada e a China volte a comprar dos EUA, os americanos já terão perdido mercado nesta safra”, explica.

A alta demanda dos chineses pela soja fez o prêmio pago para o embarque da soja no Porto de Paranaguá subir 26% no início desse mês, de acordo com dados da Commodity 3. Tarso Veloso, analista da AgResource em Chicago, destaca que os chineses já compraram 17% a mais da soja brasileira em maio quando comparado com o mesmo período do ano passado e o esperado é que nesse mês de junho as exportações da oleaginosa para os asiáticos atinjam níveis recordes.

Fonte: Agrolink