Atraso na entrega de insumos ameaça produtividade

O atraso na entrega de adubos e insumos devido a paralisação dos caminhoneiros está ameaçando a produtividade da próxima safra de grãos. Informações do jornal Estadão dão conta de que a venda futura da safra de soja para as tradings também está parada a mais ou menos um mês e meio.

 

Muitos agricultores ainda não receberam o adubo necessário para o preparo do solo, mesmo faltando apenas dois meses para o início do plantio. De acordo com os especialistas da área, o produtor não deixará de plantar, mas poderá colher menos devido ao baixo investimento e a aplicação moderada de adubo e insumos.

 

Para Antônio Galvan, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso (APROSOJA-MT), apenas um terço do adubo necessário foi entregue no estado, que é o maior produtor brasileiro da oleaginosa. Já no Paraná, o presidente da Organização da Cooperativas do estado, José Roberto Ricken, afirma que 40% da distribuição de insumos, incluindo fertilizantes, fungicidas e sementes, está comprometida.

 

O diretor da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), David Roquetti Filho, confirmou que os atrasos existem e disse que houve uma redução de 2,3% nas entregas no primeiro semestre. Segundo ele, as empresas estão tentando uma negociação de preços para conseguir a liberação dos estoques, mas ainda não foi possível regularizar a questão.

 

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária informou que as vendas futuras no Mato Grosso pararam em 21% da safra desde o fim do mês de maio, 12% a menos do que no mesmo período do ano anterior. No País, o número chega a apenas 16% devido à dificuldade encontrada na resolução dos preços.

 

Fonte: Agrolink